sexta-feira, 30 de maio de 2008

Ajude o FireFox a estabelecer um Recorde Mundial

por Lucas Vegi - "Ajude o FireFox a estabelecer um Recorde Mundial". Esse é o slogan da mais nova campanha de marketing da mozilla para divulgar a terceira versão do FireFox, o atual maior concorrente do Internet Explorer.

A data de lançamento da terceira versão do FireFox ainda não está definida, porém a mozilla já está divulgando uma campanha forte para tentar levar o FireFox 3 ao livro do Guinness como o software mais baixado durante 24 horas.

A idéia da mozilla é que no dia do lançamento da terceira versão do seu browser, ele alcance um número astronômico de downloads e dessa forma, além de estabelecer o novo recorde mundial, conquiste novos adeptos para aumentar a fatia de usuários que gradativamente o FireFox vem tomando da Microsoft.

Para alcançar a marca desejada, a mozilla está fazendo uma forte campanha de divulgação em sites de relacionamentos, blogs e universidades.

Você tem um blog ou site, usa o FireFox e quer ajudar a mozilla a alcançar sua meta?..Então clique aqui e pegue algum dos banners de divulgação da campanha.

Você não tem blog nem site, mas mesmo assim quer colaborar com a campanha baixando o FireFox no dia do seu lançamento?..Então clique aqui e se cadastre para receber lembretes da mozilla lhe avisando sobre a data da tentativa de estabelecimento do recorde e os resultados obtidos da campanha.

Até o momento da publicação desse artigo no mr .BIN, o Brasil já possui 14.074 inscritos dentre o total mundial de 240.286 e só tem menos inscritos que os EUA, que estão com 49.505. Nós estamos apoiando a campanha do FireFox, faça o mesmo e se cadastre também.



Compare Preços de: notebooks, mp3/mp4, pcs, monitores, videogames, celulares, câmeras digitais no Buscapé e Bondfaro.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Windows Se7en mais Próximo

por Raphael Monteiro - Aos usuários proprietários do Windows Vista, última versão do sistema operacional da Microsoft lançada para desktops, podem não ter feito a melhor escolha ao se adiantarem em sua aquisição. Ao participar de evento em Miami, Bill Gates afirmou que o Windows 7 fica pronto “em algum momento de 2009”. Ele evitou responder novas perguntas sobre o novo sistema operacinal e não esclareceu, por exemplo, se fazia referência em ter uma versão de testes pronta ou ter de fato o sistema operacional concluído em 2009.

O Windows Seven ou Windows 7 é um sistema operativo da Microsoft atualmente em desenvolvimento, que será o provável sucessor do Windows Vista. Antes seu nome era conhecido como Windows Vienna ou Windows Blackcomb. Apesar do Windows Vista ter sido lançado no mercado mundial em janeiro de 2007, o Windows Seven (cujo núcleo recebeu o codinome MinWin) já era esperado por muitos que fazem testes com as versões beta do Windows Vista, por isso se diz no meio da informática que o Vista é um sistema que já nasceu morto, assim como foi com o Windows Milenium.

O uso de nomes de lugares como nome de código de produtos é uma tradição na Microsoft. Ao longo das décadas de 80 e 90, várias versões dos seus sistemas operacionais tiveram nomes de cidades, como o Sparta, uma referência a cidade-estado grega Esparta (Windows for Workgroups 3.11), Daytona (Windows NT 3.5), Cairo (Windows NT 5.0 - também conhecido como Windows 2000), Chicago (Windows 95) e Memphis (Windows 98). Porém a empresa quebrou a tradição ao usar o nome de Whistler (Windows XP), uma estância de esqui no Canadá, e Longhorn, que se transformou no Windows Vista. O Windows Vienna/Blackcomb seria o sucessor do Vista até receber o novo nome de código Seven. Vienna é uma homenagem à capital da Áustria, cujo nome é Viena (em português). A Microsoft rebatizou o Vienna para Blackcomb e, por último, adotou o nome de código Seven, por se tratar da sétima edição de seu principal produto. "Isso não reflete uma grande mudança, nós já usamos cidades como nome código no passado", afirmou a Microsoft, em um comunicado de imprensa.

Após o lançamento do Windows XP (NT 5.1), o Windows Seven estava destinado a ser seu sucessor. Contudo, teve o seu lançamento adiado em favor de uma versão provisória, o Windows Vista. O Windows Seven deverá possuir alguns recursos planejados pela Microsoft e que *não puderam ser concluídos (notem o termo usado) no Windows Vista, como por exemplo:

A plataforma de armazenamento WinFS, em adição ao atual NTFS, interface gráfica melhorada, novo menu Iniciar, Windows Sidebar mais poderosa, não se restrigindo apenas aos Microsoft Gadgets, novos efeitos visuais do sistema com novos papéis de parede, ícones, temas, uma nova versão do .NET Framework, foco em tela touch screen e multi touch (para uso em monitores tipo “mesas touch screen”) e arquitetura modular, como no Windows Server 2008. Notem o último recurso, exatamente o mesmo tipo de arquitetura em que sistemas Unix (entre eles o Linux) são programados para melhor desempenho e confiabilidade. Pelo visto até a Microsoft tem se beneficiado dos códigos fonte do Linux.


Compare Preços de: notebooks, mp3/mp4, pcs, monitores, videogames, celulares, câmeras digitais no Buscapé e Bondfaro.

quarta-feira, 7 de maio de 2008

Computação nas Nuvens

Computação nas Nuvens é um termo um tanto quanto curioso e passível de várias interpretações, porém ele nada mais é que o nome do novo projeto ambicioso da Google para tentar dominar de vez o mercado da computação, desbancando sua maior concorrente atualmente, a Microsoft.

De acordo com o presidente do Conselho Executivo e Diretor Executivo da Google, Eric Schmidt, a empresa analisa a internet como o futuro da computação, e por conta dessa visão, eles já vem investindo a um certo tempo nesse projeto.

A idéia do Google é que futuramente os usuários não terão a necessidade de armazenarem dados e softwares em seus computadores, pois eles ficarão todos armazenados em um grande servidor na internet (a nuvem de informações). Com isso, os computadores pessoais se tornarão uma espécie de "terminal burro", sem hd, e que simplismente irão fazer requerimentos à "Nuvem de Informações" e então receberão de graça os dados e os softwares necessários pela grande rede.

Essa idéia do Google traz vários benefícios aos usuários, e ajuda no processo de aceleração da inclusão digital para as classes mais carentes da sociedade, pois os computadores se tornarão equipamentos ainda mais baratos e os serviços para sua utilização na web, em sua grande maioria, serão de graça, portanto os custos gerais com a computação pessoal cairão muito, facilitando assim a inclusão de pessoas mais carentes nesse mundo digital.

Vários conceitos terão de ser mudados para que a Computação nas Nuvens seja implementada. O conceito de desktop pessoal, por exemplo, será extinguido, pois os usuários poderão acessar todos os seus dados e softwares em qualquer computador do mundo, levando em consideração que todo o armazenamento se encontrará "Nas Nuvens".

Os Sistemas Operacionais também deverão passar por uma série de modificações devido as alterações de padrão de hardware. Como os computadores já não terão mais hd, a paginação de memória passará a ser realizada entre a memória RAM e "as nuvens", e não mais com o hd. Esse é um pequeno exemplo das modificações que os S.Os deverão passar para se adequarem ao novo conceito de computação.

Devido a essa mudança radical no conceito de computação, empresas tradicionais como a Microsoft podem acabar ficando para trás no mercado. Já pensando nessa possibilidade, podemos entender de forma clara o porque da Microsoft ter passado tanto tempo tentando adquirir o Yahoo!. Tendo os profissionais do Yahoo! como aliados, ficaria bem mais fácil para a empresa de Bill Gates amenizar essa diferença tecnológica entre ela e o Google com relação a soluções para a internet. O Google é o atual líder na internet, o seguido por Yahoo! e Microsoft respectivamente.

Vocês podem estar lendo esse artigo em pensando: "Mas se todos esses serviços do Google que serão oferecidos com a computação nas nuvens são de graça, como eles ganharão dinheiro com isso?...". A resposta é publicidade.

Desde de o início de suas atividades, o Google percebeu que a publicidade na internet é uma grande forma de lucrar, tanto que a maior parte da fortuna gerada pela empresa vem dos seus serviços de propaganda Adsense e Adwords, e com certeza se conseguirem emplacar esse novo conceito de computação, além de revolucionarem o mercado mundial, terão suas receitas internas multiplicadas em vários cifrões.

Para resumir o conceito de computação nas nuvens e entender melhor os objetivos do Google, veja esse vídeo a seguir: