sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

A Evolução dos Sistemas Operacionais

por Lucas Vegi - Desde a criação dos primeiros sistemas operacionais até os atuais, muita coisa mudou, porém as idéias centrais deles continuam as mesma.

As ideias centrais dos S.O's são duas, a visão top-down e a visão bottom-up, ambas com a mesma importância.

Na visão top-down o sistema operacional age como uma espécie de "camada" que fica entre o hardware e o usuário, possibilitando a ele formas mais amigáveis de interagir com o computador, como por exemplo os sistemas de janelas vistos em todos os sistemas operacionais modernos.

Já na visão bottom-up, o sistema operacional faz todo o gerenciamento de hardware do computador, como o controle da alocação de memória utilizada pelos softwares do usuário, o controle dos dispositivos de entrada e saída de dados (mouse, teclado, impressoras...) e o gerenciamento do hd.

Atualmente os sistemas operacionais permitem aos usuários abrirem vários programas ao mesmo tempo, muito provavelmente além do seu navegador onde você está lendo esse artigo agora, você deve também estar escutando música em algum player (winamp, windows media player...), conversando no MSN, ou gravando um CD...Efim, geralmente todos nós fazemos várias coisas ao mesmo tempo no PC. Sabia que nos primeiros S.O's isso não era possível?

Os primeiros S.O's trabalhavam de forma que um segundo programa só poderia ser aberto (processado) após o término da execução do primeiro. Os programas eram processados em lotes (batch), eles eram gravados em fita e executados um após o término do outro até o final da fita.

Só foi possível o processamento de vários softwares "simultaneamente", como estamos acostumados atualmente, após o surgimento das técnicas de multiprogramação e compartilhamento de tempo (timeshare).

Na verdade os programas só são processados simultaneamente em máquinas com processadores dualcore (dois núcleos) ou superiores, pois nas máquinas de processadores de um núcleo, os programas são processados alternadamente em curtos espaços de tempo, com cada um ocupando o processador por vez, porém isso acontece de forma tão rápida que passa a impressão de processamento simultâneo.

Esse processamento alternado e em curtos espaços de tempo são exatamente as técnicas de multiprogramação e compartilhamento de tempo que proporcionam. A dificuldade maior de implementar essas técnicas no passado era a falta de confiabilidade dos mecanismos de segurança de memória dos S.O's. Eles não faziam de forma eficiente a divisão da memória RAM, com isso a região de memória ocupada por um programa poderia ser facilmente invadida por outro programa, causando assim uma série de erros.

A tendência dos sistemas operacionais é evoluir para tornar possível a utilização dos computadores por usuários cada vez mais leigos em computação. Enquanto no passado para usar um computador o usuário precisava saber a fundo a arquitetura do hardware para poder interagir diretamente com ele ou ter noções de programação para trabalhar em consoles (shell), atualmente basta saber ler e acompanhar as instruções para que o resto fique a cargo do S.O e o computador funcione perfeitamente.




Compare Preços de: notebooks, mp3/mp4, pcs, monitores, videogames, celulares, câmeras digitais no Buscapé e Bondfaro.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Tata Nano - O carro mais barato do mundo

por Raphael Monteiro - Nano, este não é apenas o nome do iPod, mas também do carro mais barato do mundo. Lançado na índia Nano é o nome do automóvel que custa 2.500 dólares, cerca de 4.500 reais. O carro tem quatro lugares, motor de 625 cilindradas, e deve chegar no mercado no final do ano. Ele foi apresentado no dia 10 de janeiro pela montadora Tata motors, na maior feira de carros da Índia, na capital Nova Délhi. Atualmente a empresa não tem planos de produzi-lo fora do país, mas para alguns analistas isto é apenas uma questão de tempo, uma vez que o veículo conseguiu atrair o interesse de vários países, entre eles o Brasil. A Tata motors possui parceria com algumas montadoras maiores, como a Fiat, o que pode facilitar na popularização deste carro, porém alguns engenheiros lembram que o anuncio deve ser analisado com cautela pois apesar de versátil e barato, o carro mais barato do mundo deixa para trás algumas exigências importantes de segurança automotiva e ambientais pois emite mais poluentes do que permite as exigências ocidentais.
O automóvel começará a ser vendido no final deste ano. O carro não possui ar-condicionado, janela eletrônica ou direção hidráulica, mas dois modelos de luxo serão oferecidos. Previsões indicam que o mercado automobilístico da Índia deve crescer nos próximos anos. O país tem uma das economias com maior crescimento no mundo e tem registrado um aumento no poder de consumo da população.
Veja algumas características do automóvel:
• Tem quatro portas e quatro lugares
• Atinge no máximo 70 quilômetros por hora
• Bagageiro apenas para uma mala de mão
• Motor: montado na parte de trás do veículo, dois cilindros, 623 cilindradas, movido a gasolina
• Não tem rádio, ar-condicionado nem vidro elétrico
• Comprimento: 3,1 metros
• Altura: 1,6 metro
• Largura: 1,5 metro

Veja mais em:
G1
http://www.tatamotors.com/

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

12 anos do lançamento da Mir.

por Raphael Monteiro - 19 de fevereiro, hoje completa 12 anos do lançamento do primeiro módulo orbital da extinta Estação Espacial Soviética Mir, diferentemente do que muitos pensam a palavra Mir não é uma sigla, e significa tanto “paz” quanto “universo” na língua russa. A estação representou a terceira geração das estações espaciais soviéticas, baseada na capacidade de expansão, reequipagem e reabastecimento. A possibilidade em dispor diferentes configurações utilizando o complexo de módulos proporcionou à estação uma grande capacidade de funcionamento e autonomia. Foi a primeira estação de pesquisa científica habitada permanentemente e a longo prazo no espaço. Depois de várias colaborações conjuntas, tornou-se internacional, ao permitir a acessibilidade a cosmonautas e astronautas de diferentes países. Esta data equivale ao lançamento do módulo núcleo base (Core) que serviria como base para a conexão de todos os outros módulos uma vez que esta estação foi construida em etapas, eles funcionam como os comodos de uma casa, sendo sete no total no projeto Mir: Core como modulo base, módulo Kvant-1 para observações astronomicas, Kvant-2 para experimentos cientificos avançados de permanencia no espaço, Kristall para experimentos com novos materiais em microgravidade, Spektr funcionava como módulo abrigo contendo banheiros, dormitórios e refeitorio, Docking Module que formava a interface para conexão com o onibus espacial uma vez que originalmente a Mir foi projetada apenas para receber naves russas e por último o Priroda que servia como central de comando e comunicação com as bases terrestres.

Ela permaneceu no espaço a 400km de altitude, completando uma órbita em volta da Terra a cada 90 minutos. No total, foram realizadas mais de 82 mil voltas em volta do planeta. Cerca de 25 missões russas e 30 internacionais foram feitas, recebendo 103 visitantes. Ao todo, 14 mil experimentos científicos foram realizados. Os cosmonautas que ocuparam a estação realizaram 66 passeios no espaço, sendo que o mais longo durou 7 horas. Entre outras curiosidades, o jornalista japonês Toyohiro Akiyama transmitiu da estação, ao vivo, um programa para uma TV de Tóquio, em dezembro de 1991. No mesmo mês, o cosmonauta Valeri Polyakov completou 438 dias na Mir, um recorde mundial de permanência no espaço.

Projetada para permanecer no espaço até 1991, ela continuou em funcionamento até 23 de Março de 2001 superando as expectativas de seus projetistas originais, quando se incêndiou em nossa atmosfera em uma descida controlada por já não atender as novas demandas dos vôos espaciais.

Veja mais em:
http://en.wikipedia.org/wiki/Mir

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Você sabe o que é chiptune?

por Raphael Monteiro - Nos últimos anos um estilo musical eletrônico tem se destacado cada vez mais no cenário mundial da música eletrônica. Com sons digitais e ruídos que nos lembram jogos antigos de vídeo games de 8 bits como o Nintendinho, Game Boy, Master System, MSX e AMIGA esse estilo tem feito muito sucesso em raves e boates, estamos falando da “chip music”.

“Chiptune”, ou “chip music” é um estilo musical escrito em formatos de som cujos efeitos sonoros são sintetizados em tempo real por um computador ou console de video game que gera sons característicos de jogos antigos. Mas ao contrário do que muitos acham a "era de ouro" dos chiptunes foi em meados dos anos 80 até o início dos anos 90, quando estes sons característicos eram os únicos disponíveis para a criação de música em computadores. Os compositores deviam ter grande flexibilidade e criatividade para elaborar seus próprios circuitos eletrônicos sintetizares, uma vez que os sons sintetizados por computador tinham somente geradores de tons e geradores de ruído, isto também impunha limitações na complexidade das músicas. Chiptunes são restritamente relacionados à música de video games. O termo, hoje em dia, é normalmente utilizado para representar música que utiliza sons de sintetizadores para valores artísticos que se restrigem à limitação do hardware. Um dos desafios dos compositores de chiptunes hoje em dia é conseguir produzir os sons característicos utilizando o recurso tecnológico atual, visto que a característica principal do chiptune é a limitação dos recursos.


Apesar da enorme gama de programas gratuitos que podemos encontrar na internet com este intuito, entre muitos outros recursos de hardware principalmente embutidos em placas de som elaboradas para esta finalidade, muitos dos nomes mais conhecidos no mundo do chiptune buscando originalidade, fazem uso de recursos elaborados pelo próprio compositor como associações de circuitos integrados geradores de som e confecção de circuitos caseiros com a finalidade de atingirem sons e ruídos ainda inéditos. Esse esforço faz com que as músicas atinjam níveis cada vez maiores de complexidade trazendo cada vez mais adeptos deste estilo musical nascido na década de 80 e que embalava festas no leste europeu, berço deste estilo.

Veja mais em:
http://remixtures.com/2007/04/ladroes-de-musica/

Foguete brasileiro leva tilápias ao espaço

por Raphael Monteiro - O foguete brasileiro foi lançado ao espaço nesta última terça-feira, 12/02/08, na Suécia levando 72 peixes para um experimento que pode ajudar a esclarecer porque algumas pessoas ficam enjoadas em carros, barcos e outros meios de transporte. O foguete VSB-30 foi lançado no Centro Espacial de Esrange, no norte do país Europeu, em uma missão que é parte do Projeto Texus, conduzido por cientistas alemães com financiamento da Agência Espacial Européia (ESA). As 72 tilápias (Oreochromis mossambicus) foram catapultadas a uma altura de 260 km a 270 km. Durante aproximadamente seis minutos, o foguete ficou em ambiente de microgravidade, a fim de possibilitar o experimento.


Com os testes eles vão investigar as causas da chamada doença do movimento ou cinetose, caracterizada por sintomas como tontura, enjôo e náusea. Esta foi a sexta missão do foguete brasileiro VSB-30 desde o lançamento inaugural na base de Alcântara (MA), em 2004. Segundo o gerente do Projeto VSB-30 no IAE, Eduardo Dori, o futuro do foguete brasileiro é promissor. O VSB-30 tem 12 metros de comprimento e pesa mais de duas toneladas.

Veja mais em:
http://www.defesanet.com.br/space/brasil_espaco.htm

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Curso de HTML

por Lucas Vegi - Não deixe de conferir nosso curso de HTML para ampliar seus conhecimentos nessa linguagem que é básica para qualquer um que quiser se aventurar na criação de sites, blogs e afins..

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Nanorádio é criado por cientistas americanos

Por Lucas Vegi - Cientistas da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign (EUA), desenvolveram um nanorádio para provar a eficiência de dispositivos baseados exclusivamente em nanotubos de carbono.

Até pouco tempo atrás, era inviável a produção de dispositivos utilizando a tecnologia dos nanotubos de carbono individuais, pois até então, não havia sido desenvolvido um método capaz de produzir tais componentes com a uniformidade necessária para sua utilização, porém a partir dos estudos desses cientistas americanos, tal uniformidade se tornou possível.

Os nanotubos de carbono são muito mais eficientes que os materiais de silício utilizados em dispositivos eletrônicos atualmente, além deles possuírem tamanhos bem menores(feitos em escala da bilionésima parte do metro), eles transmitem sinais em velocidades muito superiores.

O nanorádio foi criado a partir de nanotransistores que fazem a função de todos os componentes de um rádio normal: antena ressonante, amplificadores de radiofreqüência, misturadores de sinais e amplificadores de áudio.

Nos testes realizados com o nanorádio, ele foi capaz de captar os sinais de rádios locais e até mesmo reproduzir músicas transmitidas a partir de um ipod ligado a um transmissor. Entenda melhor assistindo o vídeo abaixo:



A partir dessa experiência, um amplo leque de opções para a criação de novos dispositivos eletrônicos menores e mais eficientes que os atuais se abriu, pois os nanotubos de carbono podem futuramente serem utilizados na produção de aparelhos celulares ainda menores que os atuais, na criação de processadores mais rápidos e em vários outros periféricos.

Leia mais:
http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=8349




Compare Preços de: notebooks, mp3/mp4, pcs, monitores, videogames, celulares, câmeras digitais no Buscapé e Bondfaro.