quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Discussão: Como escrever bons artigos científicos

Para dar uma quebrada no ritmo de postagens sobre discussões científicas e evitar que o conteúdo do blog ficasse massante, resolvi fazer a postagem da semana passada sobre o filme "The Social Network", entretanto optei retomar rapidamente às discussões dado o sucesso que elas estão tendo a nível de acesso e procura.

Para essa postagem iremos discutir um tema importante para TODAS as áreas: Como escrever e estruturar bem artigos científicos. 

Embora algumas pessoas da área de computação nem dêem a devida importância para desenvolver suas habilidades de escrita por julgarem não ser tão importante, após a leitura do resumo ficará claro que esse é um pensamento errado e que deve ser combatido.

obs: Essa será a última postagem que vou realizar antes do Natal, portanto desde já desejo um feliz natal repleto de muita fartura e alegrias a todos os leitores.

- Ilustração do post: Alexandre Araújo - Estúdio Chanceler



Universidade Federal de Viçosa
Departamento de Informática
Mestrado em Ciência da Computação
INF 600 - Técnicas de Pesquisa em Ciência da Computação
Resumo nº. 04

Os artigos estudados referem-se a maneiras de escrever melhores artigos em um âmbito geral e também especificamente no campo da ciência da computação.

Geralmente boa parte dos estudantes e profissionais da área de computação não têm muita afinidade com a escrita. Muito desse mau costume deve-se a falta de prática da escrita ou mesmo pelo desinteresse em escrever bons textos. Desde a graduação, muitos alunos de computação deixam de dar valor a qualidade dos textos que produzem por julgarem ser desnecessário ter tal habilidade bem desenvolvida para exercerem seus futuros cargos como profissionais de computação. Essa visão é completamente errada, pois é pura ilusão achar que o profissional de computação passará todo seu tempo sentado ao computador apenas programando. Profissionais de computação atuam em atividades que requerem habilidades de comunicação e conseqüentemente escrita, como levantamento e descrição de requisitos, elaboração de projetos, documentação clara de software, elaboração de manual do usuário, atas de reuniões e etc. Sendo assim, dependendo do cargo exercido pelo profissional de computação, pode ser que ele passe muito mais tempo executando atividades que envolvem a escrita do que programando por exemplo.

Nesse sentido, fica claro que além de habilidades computacionais, é muito importante também ter habilidades em escrita para um profissional de computação ser bem sucedido em sua carreira corporativa.

No artigo [3], os autores relataram um projeto voltado para quebrar essa barreira que alunos ainda não graduação costumam ter de que é desnecessário ter habilidades em escrita para ser um bom profissional em computação e a partir do uso de taxonomias de escrita e conselhos gerais, passaram preparar melhor os alunos no que diz respeito a escrita para ensino, comunicação acadêmica e profissional. Várias atividades de escrita foram destinadas aos alunos, sendo que estas utilizavam um modelo estrutural de redação pré-estabelecido que juntamente com o apoio do Centro de escrita da Universidade, permitiu que os alunos se concentrassem principalmente em aprendizagem e análise, em vez de organização e conteúdo.

Para alunos de mestrado e doutorado, escrever bem tem uma importância ainda maior. Dentre os vários critérios utilizados para avaliação de planos de pós-graduação no Brasil, 50% está envolvido diretamente com a produção científica do mesmo. Sendo assim, quanto mais publicações em revistas e conferências de alto nível um plano tiver, maiores serão suas chances de ser avaliado com notas altas e conseqüentemente ter acesso a uma quantidade de recursos financeiros maiores. Quanto mais recursos têm um plano de pós-graduação, mais ele pode investir no seu pessoal e equipamentos, que logo tendem a resultar em pesquisas melhores.

Somente bons artigos submetidos a veículos de alto nível conseguem ser publicados, e para melhorar a qualidade dos artigos escritos, várias dicas foram apresentadas nas leituras realizadas. De maneira geral, os artigos escritos devem ser claros e objetivos, possuírem uma boa revisão bibliográfica de trabalhos relacionados, apresentarem o problema que propõem solucionar, a relevância de tal problema e de forma bem fundamentada apresentar suas reais contribuições para solucionar o problema proposto, assim como o que difere tal contribuição das já realizadas em trabalhos anteriores.

Um método interessante para escrever artigos foi apresentado em [1]. Chamado de método de escrita por Scripts, esse método basicamente divide o processo de criação de um artigo em quatro etapas, sendo que após a realização de cada uma delas, o texto fica cada vez mais detalhado e refinado, estando praticamente pronto após a realização da ultima etapa. Na primeira etapa desse método é criado o chamado Outline, que é basicamente a estrutura do artigo proposto, ficando definidas assim as seções e subseções que compõe o mesmo. Na segunda etapa é feito o chamado Script 1, onde em cada seção e subseção definida no Outline, são enumerados pontos chaves que serão detalhados na terceira etapa do método. Esses pontos são frases curtas e claras. Na terceira etapa é feito o Script 2, que nada mais é do que o detalhamento dos pontos estabelecidos da etapa anterior, colocando uma marcação entre chaves ao final de cada um deles. A quarta e última etapa basicamente é composta pela retirada das marcações feitas no Script 2 e nas adaptações para dar sentido ao texto final.

Todas essas questões que relatei até o momento são voltadas para aspectos técnicos de um artigo de qualidade, porém alguns aspectos não-técnicos também necessitam de atenção para evitar que bons artigos sejam rejeitados após submissão. Alguns aspectos não-técnicos que valem ressaltar são:

  • Verificar se o artigo obedece à formatação exigida pela revista/conferência no qual será submetido;
  • Verificar se a revista/conferência para a qual o artigo será submetido é apropriada;
  • Usar sempre vocabulário formal;
  • Certificar-se de que todas as figuras e tabelas do artigo estão legíveis;
  • Cuidar para que o texto esteja claro;

Cada avaliador pode utilizar de critérios pessoais para avaliar um artigo submetido, porém de formas gerais, os aspectos técnicos e não técnicos que citei são sempre levados em consideração. Depois de realizada as avaliações, sempre os avaliadores fazem considerações que são muito valiosas para uma melhor adequação do artigo proposto, portanto essas considerações merecem muita atenção por parte dos autores.

Após a leitura dos artigos ficou claro que escrever bem é tão importante para o profissional de computação quanto pra profissionais de outras áreas. Independente da escolha pelo meio acadêmico ou corporativo, sempre os profissionais de computação serão exigidos com relação a suas habilidades de escrita e a falta de tais habilidades poderá influenciar negativamente em suas carreiras.

Referências

[1] BRAGANHOLO, V., HEUSER, C., REIS, A. (2004) “Redigindo artigos de Ciência da Computação: uma visão geral para alunos de mestrado e doutorado”, In: WTDBD - Workshop de Teses e Dissertações em Banco de Dados, Brasília, Brasil

[2] Mary Shaw, "Writing Good Software Engineering Research Papers," Software Engineering, International Conference on, p. 726, 25th International Conference on Software Engineering (ICSE'03), 2003

[3] Dugan, R. F. and Polanski, V. G. 2006. Writing for computer science: a taxonomy of writing tasks and general advice. J. Comput. Small Coll. 21, 6 (Jun. 2006), 191-203.

[4] R. Levin and D. D. Redell. An evaluation of the ninth sosp submissions or how (and how not) to write a good systems paper. Operating Systems Review, 17(3):35--40, July 1983.

5 comentários:

Welington Veiga disse...

Ótimo texto!
Vejo na prática que realmente é muito comum que acadêmicos de exatas não se preocupem com a escrita, o que é um erro já que as vezes boas pesquisas acabam passando sem destaque devido a dificuldade do autor de expor o problema, caminhar de forma conexa entre os resultados, fazer uma boa apresentação.
Tive a sorte de ter bons orientadores que sempre alertaram pra esse tipo de coisa, mas muitos outros negligenciam isso, e algumas coisas que se vẽ são lamentáveis.
Gosto dessa sequencia de artigos mais acadêmicos, abraço.

Lucas Vegi disse...

Obrigado!

Acho que esse tipo de coisa deveria ser falada com muita ênfase e frequência dentro de sala de aula durante a graduação principalmente, pois infelizmente muitas pessoas só percebem o tamanho do erro que estavam cometendo ao ter preconceito com a escrita sentindo na pele... Essa nem sempre é a maneira mais agradável de descobrir isso.

Welington Veiga disse...

hehehe é verdade!
Eu mesmo estou com frio na barriga agora que tenho pela frente uma monografia para fazer, e, pensando bem, tive poucas oportunidades para escrever à sério dentro da Universidade, talvez isso devesse ser mais exigido!

Marina disse...

Escrever bem é necessário e colocar os créditos quando se utiliza uma imagem também. ;o)
Ilustração do post: Alexandre Araújo - Estúdio Chanceler.

Lucas Vegi disse...

Exatamente Marina, concordo plenamente com você que créditos são sempre necessários, só não havia feito antes poi achei a ilustração pelo Google Images, provavelmente em algum site que não era o Estúdio Chanceler, sendo assim o autor pra mim ainda era desconhecido.

De qualquer maneira já atualizei colocando os créditos e acabei conhecendo um pouco o trabalho do estúdio após uma rápida visita ao site. Trabalham muito bem aliás! =)

Futuramente caso não se importarem, poderei utilizar outras ilustrações em minhas postagens, dando créditos obviamente.

Muito obrigado pela contribuição e sempre que possível volte ao blog.